Hortênsias: sitiado e condenado pelos olhos do preconceito!

Tempo de leitura: 2 minutos


No último domingo (30) acompanhamos o caso da tragédia que aconteceu nos Jardins das Hortênsias, zona leste de Araraquara.

Tivemos um jovem morto e outro gravemente ferido por disparos de arma de fogo. Após o ocorrido, encapuzados atearam fogo em um ônibus que serve ao transporte coletivo que atende o bairro e agrediram atendentes do SAMU.

Ainda não se sabe o que motivou o crime, mas precisamos discutir esse caso. Nos últimos anos estamos acompanhando a aumento da criminalidade e a organização do tráfico de drogas em várias comunidades do Brasil. Araraquara não fica de fora desse cenário, mas precisamos falar do bairro, falar do Jardim das Hortênsias. Quem conhece a história dessa comunidade sabe o quanto ela se desenvolveu, saindo do chão de terra batida para um bairro que hoje conta com boa estrutura dos serviços públicos, possibilitando o acesso de seus moradores. Mas ainda falta emprego e renda.

Um bairro criminalizado pelos olhares que condenam quem lá vive, um povo pobre e batalhador, formado por filósofos, pedreiros, empresários, professores, auxiliares de limpeza, líderes comunitários, doutores, mestres, sim, é formado de gente, gente que segue em frente na tentativa de construir uma vida justa para si e para toda comunidade.

Mas, no pensamento popular é uma comunidade formada apenas por criminosos, por uma comunidade tomada pelo tráfico de drogas. Não, essa não é a realidade. Existe sim o tráfico organizado como em outras comunidades de Araraquara, o tráfico de drogas ainda supre a ineficácia do Estado em desenvolver um ambiente com geração de empregos. Onde o Estado não se faz presente o crime domina.

Nossa juventude preta está nessa linha de tiro, estão sendo mortos pela polícia, violentado pelo Estado e entre nós mesmos. Esse é o momento da história que nos obriga a sair de nossas bolhas e romper o véu social que nos cega, pois nossos jovens negros e negras estão sendo exterminados pelo crime e pelo Estado.

Toda solidariedade à comunidade do Jardim das Hortênsias, muita força para meus amigos que estão na batalha para construir uma sociedade e uma comunidade mais justa.

Redatoria: Monique Duarte

Texto de José Lopes Nei

Colaboração de Ana Patrícia Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *